Centro Ciência Viva de Lagos

A divulgação científica e tecnológica junto do grande público é o grande lema do Centro, bem como a formação de animadores e professores, o apoio às escolas, a colaboração entre instituições científicas, empresas, autarquias e instituições educativas.

O Centro está instalado num antigo solar setecentista, de traça pombalina, sobranceiro à zona ribeirinha da cidade, onde a Avenida dos Descobrimentos conflui com as artérias do centro histórico. Legado à cidade pelo seu último proprietário, Maria Boulain Fogaça, este interessante imóvel foi reconstruído de modo a transformar um tradicional espaço de residência numa moderna área expositiva. O equilíbrio da fachada, o jardim, os pátios exteriores e a vista panorâmica trazem a este espaço de Descoberta uma dimensão estética e contemplativa.

O Centro dispõe ainda de um espaço polivalente, capacitado para palestras, exposições e actividades várias, e de um jardim com um pequeno auditório ao ar livre. Nestes espaços dinamizam-se actividades diversificadas que estimulem em todos o gosto pela aventura do saber. A programação inclui palestras para divulgar e debater ideias, observações astronómicas ou oficinas experimentais, planeadas de acordo com o nível etário dos participantes, onde mexer é obrigatório. Durante as férias, a ciência também estará presente. A ciência extravasará para fora de portas estando previstas saídas de campo e actividades em dias festivos.

Lagos foi, durante o século XV, um importante ponto de apoio na Busca do Desconhecido empreendida pelos navegadores portugueses. Foi daqui que partiram as embarcações que iniciaram a exploração sistemática da costa de África e foram lacobrigenses que aperfeiçoaram técnicas de construção naval e de navegação astronómica. Essa Busca do Desconhecido teve como resultados o descobrimento de novas terras, o contacto com outros povos e outras culturas, e também importantes progressos técnicos e científicos.